terça-feira, 21 de junho de 2011

Deixa!


Me dê um chão pra cair agora, não mereço outra coisa a não ser me espatifar no cimento. E antes que vá embora, tire tudo daqui, faz uma faxina nesse sentimento!
Faz doer bastante, arrasa e dá um nocaute, pode doer. A mais forte de todas as dores que puder me fazer sentir, que é pra eu te esquecer!

Dê a cama, pra eu me jogar, e molhar o travesseiro com as minhas mágoas. Deixe os cacos do meu coração ali num canto pr’eu juntar , que é pra eu arrumar pra outro amor entrar! Mas vá embora , que depois eu jogo fora. Só deixa eu chorar mais um pouquinho, e brigar com essa criança que insistiu em te amar, que corria pro teu abraço e perdia todo dia um pedaço do amor que resolveu acreditar.

Deixa eu chorar, pra eu expressar o vazio no peito que você deixou, pra eu lavar a minha alma, ver se meu coração se acalma. Por pra fora aquele amor colorido guardado, e agora já enferrujado!

Deixa eu colorir a tristeza que você deixou aqui no meu semblante pálido, com um ódio
inflamável, e um sorriso miserável! Pra eu poder me livrar tomar um banho de chuva e esperar o sol chegar!