quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

o doce amargo de amar

Em meio às luzes coloridas, sorrisos e bebidas
Depois de alguns goles no meu drink doce eu senti um amargo lá dentro de mim
E foi assim um fedback no canto da pista
Pensei em tudo que passei na minha vida, desabafei com o canudo (joguei ele fora)
Me olhei no espelho e me perdi de vista
Depois quis ir embora
No fundo eu me sinto só, em meio a tanta gente!
Lamentável o que o amor pode fazer com uma pessoa
Depois de dedicar uma vida e tanto amar
Não vejo sarar a ferida!
O amor cura e a ilusão fere, quando vou amar denovo?