domingo, 14 de novembro de 2010

Ganhar?

Eu construí um escudo, quase uma fortaleza que esconde a minha dor
E me mostro forte, sigo em frente com a sorte que Deus escolher pra mim
Eu teimo e persisto pelo que quero e pouco espero por mãos de ajuda
A tudo que me afronta não permaneço muda
Não temo o futuro, mas tem dias em que me perco, me sinto no escuro
Faço de tudo pra defender o meu ideal, e protejo meu nome, honestamente
Eu vivo o presente
Eu tenho feridas expostas, que se tornam marcas do que hoje posso dizer que aprendi
Tatuadas em mim são tudo que venci
Mas eu tropeço porque não sou Deusa, sou humana, e estou sempre com o pé na estrada
Quase uma cigana
Eu tenho um coração que vive apaixonado porque sabe que a vida dói e a paixão faz parte
A vida é feita de arte
Eu não ensaio, represento o dia inteiro, e o meu carnaval começa em janeiro
E tenho um ar duro, de quem não quer sorrir roda hora, não tenho medo de que vá embora. É a minha defesa, não espero pela sobremesa!
Mas sei amar, e depois de viver pra mim, viver pra quem eu amo
Eu tenho valor e sei disso, mas dou valor também
Porque a vida só é boa pra quem vive, e só gosta de quem gosta dela
Se eu caio eu não choro, se é pra mim, pra mim mesma eu choro porque perdi
Por isso, você não vai me ver chorar na sua frente se eu não tiver perdido o que eu sou
Hoje a noite eu me perdi pensando em você e chorei com medo de te perder.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Atividade Onírica

Por muitas vezes me pego pensando em dividir meus sonhos com alguém. Mas todas as vezes em que eu construo sonhos, parece que aquele alguém com quem pensava em dividi-lo tira um tijolinho do castelo, e ele se desfaz cai todinho ao chão.
Esses sonhos se tornam distantes, obras incompletas, de material frágil. E eu me vejo só, perdida em idéias que sinto como se apenas eu tivesse. Idéias de amor, de família feliz, de união estável, parece piada?
Assim eu arrumo um escudo, que coloca essas idéias lá num canto do meu coração, onde ninguém mais consiga ver, pra eu poder dizer que sou normal, que vejo a realidade aquela que eu quero enxergar pra não precisar sofrer, pra poder viver em paz e dizer que lutar por tudo isso é bobeira.
Mas chega um dia em que a gente sente vontade de dizer pra alguém que aquilo lá escondido existe, e sente vontade de lutar pra ele também acreditar que possa ser real, e seguimos cantando pela “estrada do amor”, até que opa! Ele coloca um pé na sua frente, não é bem assim!
Não que todo relacionamento seja desastroso, mas é depois de muitas quedas que aprendemos que não existe metade da laranja! É sim, não existe uma fórmula.
O problema é que depois de tantas trombadas a gente acaba esquecendo aquele sonho bonito que a gente construía, e parece que as coisas vão ficando mais firmes, os pés tocam o chão, e o pesar já se torna mais leve.
E a gente percebe que a vida passa e o tempo também, e ele é sempre curto. E que não basta construir um sonho como qualquer outro, tem que torná-lo forte, e a base disso está em nós mesmos. Confiança, segurança e respeito não se constroem do dia pra noite. Um relacionamento não é uma algema, e nem um tratado de posse e sim um compromisso de felicidade!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Exceção

Eu quero tanto sentir você por perto
Mas não de como corpo presente e alma ausente
Hoje me sinto no deserto
Quero sentir seus abraços
E poder repousar nos seus braços
Com seu calor incluído no enlaço
Me sentir segura e protegida
Porque no momento me sinto perdida
Querendo te encontrar em qualquer esquina
Em qualquer lugar
E saber que vou ter você para me esperar
Quero ter seu sorriso mais sincero
É o que eu mais espero ver você feliz
Quero ter seu beijo mais demorado
Como se fosse a ultima vez que tivesse te encontrado
Não quero te ter como propriedade
E nem te prender sem sua vontade
Eu quero te amar
Pra escrever uma historia
Que fique para sempre na nossa memória!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

A felicidade

A felicidade
Um sentimento breve, ligeiro
É sempre passageiro
Fiz tantos planos para ela
Quem me dera
Eu sei que é como as horas que passam correndo
E até lá vou querendo ser feliz
Será que não mereço? O que será que eu fiz?
Desejar tudo aquilo que não posso ter!
Ah felicidade
Ela dura o tempo que o vento bate
E quando percebo que passa
Me abate
Perdi o combate!

sábado, 5 de junho de 2010

Por favor, não deixe que seu coração pare de bater
Ele já bate tão devagar e descompassado
Não é mais como era no passado
Como naquelas estórias que você me conta
Me diz que você vai estar comigo ainda muito tempo

Vou ouvir você dizer todos os dias que bens a vida tira
Só não tira o que a gente aprendeu
E o meu orgulho está em tudo que você me deu
No meu sobrenome e no meu futuro
Você é meu porto seguro

Um coração forte e honroso
Por vezes teimoso, mas bem generoso
Que bate e às vezes quer correr do tempo
E vive de tanto lamento
E um olhar triste que insiste em teimar
Mas tem medo de nos deixar

Seria pedir muito te ter pra vida inteira “pai”?

terça-feira, 18 de maio de 2010

Depois

Depois de perceber o quanto as coisas pequenas aos olhos, as coisas simples que Deus põe em nossos caminhos são valiosas, resta ainda algum tempo para procurarmos a fortaleza que escondemos em nossas almas! A fortaleza que se constrói a cada virtude que adquirimos que planta o amor dentro de nós!
Depois de aliviar as angústias, de esgotar nossas cotas de egoísmo, e parar de reparar tanto nos erros alheios, ainda resta algum resquício de generosidade, resta ainda percebermos que a começar por nós mesmos o mundo ainda pode ter jeito, a mudança está em nós!
Depois de tanto sofrer por procurar amor nos outros, eu quis achar o amor em mim, pedi todos os dias incansavelmente para que eu pudesse preencher todo amor que em mim faltava! Pois por vezes eu dei o amor que já não tinha mais, doei e fiz empréstimo! E minha dívida me fez ficar sem amor em mim mesma!
Depois de tanto pedir eu resolvi olhar a minha volta, e ver o quanto eu já tinha e quanto tempo eu perdi pedindo, ao invés de enxergar o mundo e viver!
Eu tive medo de viver, tive medo de errar, medo de ficar só, e tive medo de arriscar!
Depois de tanto medo, de tanto pedir, de tanto dever, e de tanto amar em vão, eu descobri que o que eu tenho dentro de mim me completa, que o meu medo era pequeno demais perto de mim, o meu medo era porque eu pensava estar só, e amei sem declarar aqueles que não me amaram, porque não amei primeiro a mim, e pedi porque eu sabia lá no fundo que alguém iria me ouvir. Não pra me dar tudo que eu pedia, mas pra me mostrar que havia um caminho que eu rejeitei, um caminho que iria me levar aonde eu quisesse ir. Esse caminho estava em mim, só eu sabia.E tal qual um terapeuta Ele não resolveu nenhum dos grandes problemas que eu acreditava ter, apenas me mostrou o caminho!

domingo, 25 de abril de 2010

A forca

Estou por um triz da forca e tenho minhas ultimas palavras, um último pedido
A corda no pescoço, e o povo em grande alvoroço querendo ouvir o que tenho a dizer
Poderia ter uma morte mais emocionante, poderia ter sumido
Mas morrer enforcada era a melhor forma que poderia acontecer
E já conformada eu declarei que já estava quase morta, engasgada
E contei que meu único pecado era amar de mais
Sofrer calada por aquele que me tirava a paz
Era o meu maior crime, ter um coração na mão de alguém
Por isso tomei como refém muitas palavras que precisavam ser ditas
Muitas promessas de amor, coisas bonitas
E eu as prendi bem na minha garganta
Mas fiz isso porque ele não me amou, porque não cuidou do que possuía
Porque ele roubou o meu coração, isso realmente não tem perdão
Eu só quis tomá-lo de volta, por isso mentia, só ele não via
O meu crime maior foi esperar o tempo inteiro, entrar em desespero
Por dar tanto valor, e não ter recompensa
Foi minha maior sentença
Não estar no seu pedestal, e vê-lo fazer sempre tudo igual
Caso encerrado esse amor está acabado
E você quando vai ser julgado?
Solte a corda o amor pra mim morreu
E eu morri junto, só você não percebeu!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Um pouco de ilusão

Foi tanto encanto
Cobri você de perfeição
Com um manto
Pura ilusão
Talvez tenha sido um engano
Ou quem sabe a solidão
Que me fez te ver de outra maneira
Sem razão
Pura besteira
Numa rima tão primária
Muito solitária
Em busca de amor
E você sem nenhum pudor, só queria calor
Sem cor, sem inspiração
E eu inocente sempre presente
Aguardava contente a sua ligação
Que vinha sempre junto com um se ou um não
Tão cheio de dúvidas, um quase que sufocava
Engasgava minhas palavras
E diante de tudo isso eu não te vi
Só idealizava, sonhava
E me espatifava no chão da ilusão
Será que agora aprendi?
Ou nas suas garras eu vou de novo cair?

domingo, 28 de março de 2010

Valor

Nós somos eternamente insatisfeitos com a vida
Reclamamos de tudo
Da chuva, do transito, da comida
Eu mesma vivo um sofrimento mudo
Para todo caso que me fere eu respiro fundo
E sigo em frente
Mesmo que meu desejo na hora seja sumir do mundo
Mas não pense que isso é uma virtude, como diz muita gente
No fundo a verdade é que é preciso dar valor ao que se tem
No momento presente
Viver o hoje, o agora, sem esperar tanto do futuro
Mas nunca deixar procurar conhecer todo dia um pouco sobre si
Um vencedor na vida nunca fica em cima do muro
E ter coragem, definitivamente é necessário
Não ter medo do escuro
Nem se esconder atrás do armário
Além disso, é preciso amar
Cada molécula de oxigênio que respiramos
Cada gota da água que nos banhamos
É preciso amar a vida e também amar alguém
Mais que isso, antes de amar os outros, amar a si
É imprescindível fazer o bem
Todas as vezes que o fiz, um bem na alma eu senti
Para dormir com a alma lavada e agradecer a Deus todo dia
Obrigada senhor por tudo que vivi!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

o doce amargo de amar

Em meio às luzes coloridas, sorrisos e bebidas
Depois de alguns goles no meu drink doce eu senti um amargo lá dentro de mim
E foi assim um fedback no canto da pista
Pensei em tudo que passei na minha vida, desabafei com o canudo (joguei ele fora)
Me olhei no espelho e me perdi de vista
Depois quis ir embora
No fundo eu me sinto só, em meio a tanta gente!
Lamentável o que o amor pode fazer com uma pessoa
Depois de dedicar uma vida e tanto amar
Não vejo sarar a ferida!
O amor cura e a ilusão fere, quando vou amar denovo?