segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Só aprendi a não esperar

Decepção não mata, ensina a viver.
Naquela hora eu vi tudo desmoronar pouco a pouco
Como em uma seqüência enfileirada de dominós caindo sucessivamente
Um derrubava o outro!
Tudo aconteceu de repente
Mas cada peça se encaixava perfeitamente como num quebra-cabeça
Que antes não fazia sentido nenhum,
Pelo menos não me vem à memória
Ou na verdade fazia, mas eu não queria enxergar
Porque estava tão mergulhada nessa tal história
Perfeita onde via o bandido tão mocinho
Cheio de boa intenção
E bem no meio do caminho
Eu percebi que não era bem isso não!
Eu já vi essa cena algumas vezes
Como num Déjà Vu
Eu previa o que ia acontecer
Mas torcia para ser só um sonho!
Decepção deveria mesmo ensinar a viver
Eu continuo caindo no jogo
E catando os pedaços do que sobrou
Mesmo assim me sinto cada vez mais fria
A cada uma delas mais vazia
E sem esperança
Esperança é pra quem espera
Eu já esperei demais !